Comissão aprova multa para condutor que estacionar em frente guia rebaixada para cadeirantes

Pessoas com deficiência auditiva poderão conseguir o direito de ter CNH em todas as categorias
28 de outubro de 2021
Espelhos retrovisores: saiba como usá-los corretamente
11 de novembro de 2021
Comissão aprova multa para condutor que estacionar em frente guia rebaixada para cadeirantes

PL prevê multa para quem estacionar veículos em frente guia rebaixada para cadeirantes. A infração será considerada média e poderá levar à remoção do veículo.

A Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara dos Deputados aprovou o PL que prevê multa para quem estacionar veículos onde houver acesso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. A infração será considerada média e poderá levar à remoção do veículo.

Atualmente, são multados apenas os veículos estacionados onde houver faixa de pedestre ou guia de calçada rebaixada destinada à entrada ou saída de veículos. A proposta altera o Código de Trânsito Brasileiro.

O texto aprovado é o substitutivo do deputado Felipe Rigoni (PSB-ES) ao Projeto de Lei 4937/20, do Senado. A proposta ainda permite usar recursos das multas de trânsito em obras de acessibilidade. Atualmente, a receita que se arrecada com multas de trânsito é aplicada exclusivamente em sinalização, engenharia de tráfego, de campo, policiamento, fiscalização e educação de trânsito.

Acessibilidade

De acordo com o substitutivo, pelo menos 10% dos recursos serão prioritariamente destinados a projetos e a investimentos em instrumentos tecnológicos referentes a segurança e acessibilidade no trânsito, preferencialmente no transporte não motorizado, para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

“Entendemos ser mais prudente dar preferência para o uso dos recursos no transporte não motorizado, porque ele engloba várias questões que são caras às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida”, argumentou Felipe Rigoni.

Tramitação

A proposta ainda passará por análise nas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania, antes de seguir para o Plenário.

As informações são da Agência Câmara de Notícias