Boas práticas para condutores: dicas para um trânsito mais seguro.

Você Sabia; Falsa Identificação de Condutor ao Assumir Pontos na CNH é Crime!
22 de junho de 2021
Bem-estar de caminhoneiros como forma de prevenção de acidentes
1 de julho de 2021

Tornar o trânsito mais seguro é responsabilidade de todos, de pedestres a motoristas. Ainda mais se forem de veículos corporativos, pois além de passarem bastante tempo nas ruas, seu comportamento influencia diretamente a lucratividade da empresa e a imagem que ela tem junto à sociedade.

Isso sem contar os gastos diretos com consertos e indenizações que podem surgir de acidentes. Não é só isso: a própria saúde do trabalhador pode ser comprometida se não forem seguidas regras básicas de segurança no trânsito.

Por esses motivos, é importante que os condutores sejam alertados sobre a necessidade de se manter uma postura defensiva na direção, cuidando para que suas ações não causem acidentes e antecipando perigos.

Entenda a importância das leis de trânsito

As leis de trânsito, em um primeiro olhar, podem parecer mais um amontoado de normas burocráticas, difíceis de navegar. No entanto, elas são muito importantes para trazer segurança às ruas e estradas.

No Brasil, os acidentes de trânsito já representam a oitava maior causa de morte e grande parte das vítimas é proveniente da imprudência e desrespeito à legislação vigente. Devido à proporção dessa temática, as leis de trânsito são extremamente necessárias para tentar diminuir o número de acidentes e as imprudências.

Além disso, a legislação é a ferramenta de trabalho dos fiscalizadores (agentes públicos, policiais, etc.). Sem elas, não seria possível exigir o cumprimento dos parâmetros de segurança.

Veja quais são as normas de trânsito para motoristas

Existem inúmeras normas de trânsito que afetam os motoristas. Afinal, o código de trânsito também é voltado para a sua regulamentação e proteção. No entanto, existem algumas regras diretamente ligadas aos condutores que precisam de mais atenção.

Abaixo, listamos algumas das mais importantes:

  • utilização do cinto de segurança: dirigir sem o dispositivo, tanto do condutor como dos passageiros, ocasiona multa grave. Regulamentado pelo artigo 167 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro);
  • não prestar socorro: deixar de atender às vitimas de acidente ocasionado pelo condutor é infração grave, segundo regulamenta o artigo 177 do CTB;
  • dirigir sem habilitação: conduzir o veículo sem ter habilitação, portar o documento físico, ter a CNH cassada ou a habilitação vencida é multa gravíssima. As medidas são regulamentadas pelos incisos I, II, III e V do artigo 162 do CTB;
  • desrespeito ao limite de velocidade: ultrapassar a máxima permitida na via também é multa grave. A medida é regulada pelo inciso II do artigo 218 do CTB;
  • dirigir sem óculos e outros auxílios: se você precisa de óculos, próteses, aparelhos auditivos e outros para poder dirigir, é preciso trafegar sempre com eles. Além do risco que a falta deles pode trazer para a condução, isso também pode gerar multa gravíssima, conforme regulamentado no inciso VI do artigo 162;
  • dirigir sob influência de álcool: conduzir o veículo alcoolizado é uma das maiores imprudências que o motorista pode cometer. O condutor não precisa estar necessariamente embriagado para sofrer as consequências, basta que seja constatada a presença de álcool em seu organismo. Além de multa, ele pode ficar sem permissão para dirigir por pelo menos 12 meses, segundo versam os artigos 165 e 164-A do CTB;
  • transportar crianças sem cadeirinha: levar os pequenos sem observar as medidas de segurança vigentes também ocasiona multa gravíssima. Apesar do recente debate sobre o uso ou não da cadeirinha, nada mudou na legislação e sua utilização continua obrigatória segundo o artigo 168 do CTB.

Saiba quais são as regras básicas de segurança no trânsito

Além de respeitar o que diz a legislação sobre a condução de veículos automotores, é preciso ter em conta que uma direção segura passa por muitas outras regras que estão além do Código de Trânsito Brasileiro.

Elas têm mais a ver com o tipo de direção executada pelo motorista. Também, de como ele faz uso dos equipamentos e medidas de segurança no seu dia-a-dia, seja no trabalho como condutor profissional, seja fora da profissão.

Abaixo, separamos algumas dicas de boas práticas para condutores, visando um trânsito mais seguro e melhor aproveitamento de sua frota. Confira!

1) Cuidar do veículo

Cuidar do veículo

Fazer a manutenção da frota para que não haja problemas mecânicos nos veículos é uma boa contribuição para evitar colisões e panes mecânicas. Além disso, é uma grande contribuição para não deixar o trânsito ainda mais caótico do que já é.

Um problema inesperado pode fazer com que algum componente essencial, como freios ou direção, não funcione corretamente em um momento crítico, causando acidentes. Com as manutenções preventivas e preditivas em dia, esse risco é muito menor!

2) Respeitar a sinalização

A sinalização de trânsito não está lá à toa. Cada placa e sinal colocado nas vias tem a função de evitar desentendimentos e situações perigosas.

Respeitar a sinalização é uma prática fundamental para garantir a segurança no trânsito! Assim, respeitar os sinais de proibição de ultrapassagem, conversões proibidas, espaços preferenciais, entre outros, é essencial para diminuir os riscos para si e para os outros.

3) Não parar em fila dupla

Além de ser um risco para o próprio veículo e seus ocupantes, parar em fila dupla faz com que os outros motoristas precisem tomar atitudes inesperadas para desviar do bloqueio.

A prática causa engarrafamentos, que só pioram a situação do trânsito e o estresse de motoristas e pedestres ao redor. Não parar em fila dupla é uma atitude positiva que favorece um trânsito mais seguro para todos.

4) Não usar o celular

Diversos estudos comprovam que o uso do celular ao volante, mesmo que por alguns segundos, é tão perigoso quanto dirigir embriagado. Portanto, o aparelho deve ser esquecido enquanto estiver guiando um veículo!

Deixe-o no bolso, guardado no console ou no porta-luvas para não correr o risco de “dar uma olhadinha rápida” a cada notificação que chega. Fora isso, o código de trânsito classifica o uso do celular enquanto dirige como infração gravíssima. Em caso de necessidade, estacione e desligue o veículo, para só então manusear o smartphone.

5) Cuidar de pedestres e ciclistas

A regra é simples: o maior sempre tem responsabilidade pela segurança do menor. Assim, pedestres e ciclistas devem ter a preferência, bem como motociclistas. Afinal, em uma colisão, os riscos são maiores para quem está em um veículo menor ou a pé.

6) Manter a distância

Manter a distância é a regra básica para a direção defensiva. Logo, torna o trânsito mais seguro para todos. Essa atitude dá mais tempo para a reação a uma situação de risco e maior espaço para manobras. É, também, essencial para a prevenção de acidentes e para minimizar as consequências de distrações.

Uma dica para manter a distância de segurança em relação ao veículo da frente: marque mentalmente a passagem do carro adiante em um ponto de referência, como um poste, e diga calmamente “dois mil e um, dois mil e dois”.

Esse deve ser o intervalo em que o seu carro chega até o ponto de referência. Se passar por ele antes, está próximo demais. Desacelere e deixe o veículo da frente se distanciar um pouco.

7) Diminuir a velocidade

Diminuir a velocidade

Assim como manter uma distância segura, não abusar da velocidade é primordial para uma direção defensiva. Além de proporcionar mais tempo para uma reação, diminuir a distância de parada e aumentar o campo de visão, uma velocidade mais baixa também fará com que as consequências de eventuais acidentes sejam menores.